Xô pulga! Xô Dermatite!

pulga dermatite 1 pulga dermatite 2 pulga dermatite 3

Por mais cuidado que se tenha, no verão as pulgas e carrapatos aparecem, literalmente, como pragas nas vidas daqueles que convivem com cães e gatos. 

Apesar dos banhos, da limpeza e do cuidado, esses parasitas acabam aparecendo com mais frequência e, por consequência, acabam com a paz dos peludos.

Com o calor ocorre uma maior eclosão de ovos de pulgas, logo, todos os ovinhos que ficaram lá no cantinho do parquet da sala, bem quietinhos durante todo o inverno, no verão encontram condições ideais para eclodirem e transformarem-se em pulguinhas chatas e incomodativas.

Apesar de toda a limpeza que se empregue em casa, todos os dias nós trazemos das ruas (sim, eles estão em toda parte) ovos de pulgas minúsculos nos solados dos sapatos e, fatalmente, os depositamos dentro de casa. Uma vez lá dentro, os ovos que eclodirem se transformarão em pulgas que poderão ficar até um ano hibernando, sem alimentação alguma, só esperando o calor chegar; os que não eclodirem resistem bem até encontrarem condições ideias para tal.

E o carrapato não fica atrás, não mesmo! Esses malandrinhos ficam lá embaixo das gramas por muuuuito tempo também, só esperando a oportunidade de se agarrarem em algum cão que possa lhes oferecer casa, comida e roupa lavada…

“A luta contra pulgas e carrapatos deve ser travada sempre, tanto no inverno quanto no verão, e aí, com alguns cuidados essenciais, podemos combater de maneira eficiente esses parasitas”, explica a veterinária.

atenção para os cuidados que devemos ter durante o inverno, época em que, normalmente, esquecemos que estes monstrinhos existem. “É importante ter cuidado redobrado com pisos de parquet, carpetes, taboão e locais com tapetes. Utilizar vaporeto nestes ambientes é bastante interessante, pois ele consegue matar tanto a pulga, quanto o ovo”, explica.

Outro hábito que deve ser adotado é o da limpeza de pisos e caminhas onde os bichinhos dormem com produtos que contenham Amônia Quaternária ou Hipoclorito de Sódio. Estes produtos são utilizados em clínicas veterinárias, mas podem ser comprados pelo público em geral e, normalmente, são comercializados em pet shops e agropecuárias.

Para finalizar, pulverizar mensalmente no pátio produtos como Botox, Kothrine, Colosso e etc, ajuda a combater os carrapatos. Lembre-se de retirar do ambiente adultos, crianças e animais durante a aplicação, que deve ser realizada com máscara e luvas. A família pode voltar para casa no final do dia.

E vale lembrar que estes cuidados são extensivos ao verão, claro!

Antes de mais nada, Cris lembra que cães e gatos são bastante diferentes; o gato é muito mais sensível a certos medicamentos, por isso é fundamental utilizar antipulgas específicos para cada espécie.

Além disso, a frequência com que se utiliza antipulgas é diferente para cada época do ano. No inverno, pode-se utilizar as ampolas a cada três meses, já no verão o produto precisa ser reaplicado a cada 30 dias, pois, conforme explicamos no início da matéria a proliferação dos parasitas é muito mais intensa neste período.

Uma dica importante é sobre os shampoos antipulgas. Estes produtos matam somente os parasitas que estiverem no cão ou gato no momento do banho, não têm efeito algum depois disso, portanto, o ideal é utilizar conjuntamente o antipulgas e o shampoo.


E para encerrar o assunto “parasitas”, Cris lembra que manter o ambiente limpo, o animal protegido por antipulgas, as gramas bem aparadas, pátios limpos e muros e terrenos pulverizados é o segredo para o sucesso. E se o vizinho colaborar fazendo o mesmo, ótimo! Garantia total de ambiente seguro e animaizinhos longe daquela coceira chata!

Como tratar as dermatites:

Sobre as dermatites, Cris explica que no inverno o animal está mais protegido dos parasitas e, por consequência, das dermatites também. Porém, no verão, se o cachorrinho não for tosado, normalmente ele irá procurar lugares mais úmidos para se refrescar, o que acaba umedecendo o pelo e deixando a “porta aberta” para a proliferação das bactérias que habitualmente “moram” na pele do animal.

Além do mais, existem animais alérgicos a pulgas, carrapatos e/ou mosquitos. Para eles, serem picados por uma ou 1.000 pulgas causa o mesmo estrago, por assim dizer. Segundo Cristian, “isso acontece porque, em animais alérgicos, a saliva é o agente condutor da alergia, e como o cão se morde para coçar, forma feridas na pele e acaba provocando uma dermatite pela oportunidade que a bactéria encontra para se desenvolver, o que multiplica o local de atuação da bactéria”.

Para identificar a alergia, basta prestar atenção no comportamento do cão, que acaba coçando o corpo todo por causa de apenas uma picada. E para ajudar, segue abaixo uma listinha com as raças que mais apresentam alergias causadas por parasitas:

- Yorkshire;

- Poodle;

- Shih Tzu;

- Lhasa Apso;

- Bichon Frisé;

- Rottweiler.

Ainda sobre as dermatites, lembramos que os peludos nunca devem ser medicados em casa, sem a orientação de um médico veterinário, pois a dermatologia é uma das áreas mais complicadas da medicina veterinária, e quando utilizados medicamentos impróprios, estes podem contribuir para o fortalecimento da bactéria.

Fonte: Médica veterinária Cristian Raquel M. Alves

CRMV_RS:11245

 

Compartilhe nas redes socias: